CVM: governança eleva base de investidores

O presidente da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Luiz Leonardo Cantidiano, acredita que a governança corporativa é fundamental para elevar a base de investidores domésticos. "Num mercado global, que sofre com crises de liquidez e confiança, torna-se cada vez maior a necessidade do financiamento interno." Ele disse, entretanto, que a população precisa confiar nas empresas para investir seu capital.Cantidiano lembrou que, no intuito de melhorar a transparência das companhias abertas, a CVM criou um cartilha de governança corporativa. Ele citou também o estímulo às melhores práticas por meio da Instrução nº 377, sobre fundos de investimento em títulos e valores mobiliários. "As instituições devem divulgar o teor dos votos proferidos nas reuniões, estimulando assim uma posição pró-ativa."Outro ponto considerado importante para essa área, de acordo com o presidente, é o projeto de lei que dispõe sobre o uso dos recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) no mercado de ações. "Ainda assim o nível de cultura acionária e o ativismo dos investidores são muito tímidos no Brasil. O papel da CVM é trabalhar para melhorar ainda mais as regras do mercado."De acordo com Cantidiano, as melhores práticas de governança corporativa elevam o preço das ações das empresas. Ele afirmou que as companhias do Novo Mercado da Bovespa estão apresentando desempenho melhor do que as não listadas nessa seção.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.