Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

CVM inabilita Arnaldo Souza de Oliveira por 15 anos

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) condenou os principais indiciados no caso de irregularidades na gestão de negócios do Banco Nacional.O presidente da CVM, Marcelo Trindade, decretou pena de 15 anos de inabilitação na administração de companhias abertas ao principal executivo do Banco Nacional, Arnaldo Souza de Oliveira. O maior acionista do Banco, Marcos Catão de Magalhães Pinto, recebeu pena de 20 anos.A CVM também decidiu condenar a 10 anos de inabilitação o vice-presidente do Banco Nacional, Clarimundo José de Sant Anna. Foram absolvidos os ex-executivos do Nacional, Décio da Silva Bueno e Nagib Antônio, também indiciados no processo.O julgamento do Banco Nacional foi iniciado pela CVM em 12 de agosto, mas não havia sido concluído porque Trindade pediu vista ao processo para analisar com mais profundidade o papel dos indiciados na administração do banco. O Banco Nacional sofreu intervenção do Banco Central em 1995 devido a ocorrência de fraude nos números de seus balanços entre os anos de 1990 e 1995.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.