Fabio Motta/Estadao
Fabio Motta/Estadao

CVM condena investidores por informação privilegiada no caso Globex/Casas Bahia

Acusados negociaram ações da Globex dias antes da divulgação do acordo de associação com a Casas Bahia, no fim de 2009

Renata Batista, O Estado de S.Paulo

19 Junho 2018 | 18h08

RIO - O colegiado da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) condenou hoje quatro investidores acusados de negociar ações da Globex com uso de informações privilegiadas dias antes da divulgação do acordo de associação com a Casas Bahia, no fim de 2009.

+ Operações suspeitas de lavar dinheiro em fundos chegam a R$ 13 bi

Guilherme Soter Lopes da Silva, Rodrigo Rodrigues da Silva, Cláudia Maria da Costa e Henvironmenth Sistemas Ambientais pagarão juntos R$ 684 mil em multas, o equivalente a 1,5 vez o lucro auferido por eles com as operações corrigido pelo IPCA.

No voto, o diretor-relator Gustavo Borba rejeitou as alegações de prescrição da irregularidade e também destacou que os acusados tinham relações pessoais entre si e com pessoas que tiveram acesso às negociações entre as duas empresas. Segundo ele, as operações de compra e venda em datas próximas ao anúncio, comprovam isso.

Esse não é o primeiro processo administrativo sancionador na CVM relacionado à operação da Globex/Casas Bahia. A autarquia já chegou a firmar um termo de compromisso com o então diretor de Relações com Investidores da Globex. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.