CVM: Justiça julgará auditoria e consultoria

A diretora da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Norma Parente, disse que a Justiça deve decidir em breve sobre as liminares que impedem a separação entre os serviços de consultoria e auditoria, prevista na Instrução nº 308. Segundo ela, havia três liminares contra a norma. Uma delas, de autoria da PricewaterhouseCoopers, foi derrubada na Justiça. As outras duas, do Sindicato de Serviços Contábeis de São Paulo e da Ernst & Young ainda estão no Tribunal Federal de São Paulo.Como a separação dos serviços de consultoria e auditoria ainda não entrou em vigor, devido às liminares, a CVM está preparando uma instrução para obrigar o auditor independente a informar se a sua empresa exerceu qualquer tipo de consultoria para a companhia cujo balanço está averiguando. Essa explicação será dada por meio de nota explicativa às demonstrações financeiras das empresas.De acordo com a diretora da CVM, o projeto que prevê a divulgação em nota explicativa está sendo preparado e deve chegar ao colegiado da autarquia na próxima semana. "Se a proposta for aprovada, já valerá para o balanço de dezembro de 2002."O objetivo da CVM é que as empresas informem na nota explicativa inclusive o valor financeiro dos serviços de consultoria prestados pelo auditor de seus balanços. Norma Parente participou do seminário "Resultados e Demonstrações Financeiras", realizado ontem em São Paulo pelo IIR Conference.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.