Paulo Whitaker/Reuters
Paulo Whitaker/Reuters

CVM vai analisar demonstrações financeiras de 2014 da Petrobrás

Com meses de atraso, balanço auditado da estatal foi divulgado nesta quarta-feira; autarquia irá apurar se há alguma inconsistência nas informações

Mariana Durão, Agência Estado

23 de abril de 2015 | 17h25

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) abriu nesta quinta-feira um processo administrativo para analisar as demonstrações financeiras anuais da Petrobrás referentes ao ano de 2014. Os dados validados pela PwC foram publicados nesta quarta-feira, com meses de atraso diante da recusa da auditoria em chancelar as contas da estatal em meio às denúncias de corrupção da Operação Lava Jato.

O processo RJ 2016/3346 foi aberto pela Superintendência de Relações com Empresas (SEP) da CVM e encaminhado à Gerência de Acompanhamento de Empresas 5 (GEA-5), responsável por analisar questões envolvendo contabilidade. A autarquia deverá ficar atenta aos desdobramentos e movimentos da estatal para identificar se há algum sinal de inconsistência nas informações divulgadas aos investidores, por exemplo, se os critérios descritos refletem os números apresentados e se foram bem fundamentados. Caso tenha alguma dúvida a autarquia poderá questionar a companhia.


Todas as informações financeiras de companhias abertas passam de alguma forma pela CVM, mas a xerife do mercado de capitais só costuma abrir processos para aprofundar a verificação dos dados quando há ressalvas dos auditores independentes, quando a empresa cai no radar da supervisão baseada em riscos da autarquia ou em situações que exigem uma ação preventiva. Tudo indica que este foi o caso da estatal do petróleo, diante do imbróglio que envolveu a divulgação de seus resultados.

Além do processo aberto nesta quinta-feira há um outro em curso para a análise das informações contábeis trimestrais do terceiro trimestre do ano passado. A CVM resolveu apurar a divulgação do ITR depois que a Petrobrás decidiu publicar informações não auditadas, em janeiro. Agora poderá comparar esses números com os novos dados divulgados nesta quarta-feira pela companhia.

Mais conteúdo sobre:
petrobrásCVM

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.