finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Cyrela prevê ampliar crescimento mesmo sem recursos de emissão

A incorporadora Cyrela minimizounesta quarta-feira a importância dos 500 milhões de reais deuma emissão internacional para financiar o seu crescimento. Aoperação foi congelada em meio à crise nos mercados de créditoglobais. De acordo com o vice-presidente financeiro da empresa, LuisLargman, a Cyrela tem acordos no valor de cerca de 3 bilhões dereais com os bancos ABN Amro Real, Santander e HSBC para fazernovos negócios no país, em especial nos produtos voltados aclientes com renda entre 55 mil e 150 mil reais. "Queremos estar entre os líderes nesse setor, onde está umagrande fatia de potenciais clientes, e esses recursos dosbancos já nos dão tranquilidade para isso", disse Largman emteleconferência com analistas após o anúncio do resultado dacompanhia. "Os recentes acontecimentos no mercado internacionalelevaram taxas de juros e adiaram a emissão. Mas isso não éproblema. Existe liquidez na Cyrela e (a emissão) é questão deoportunidade... Estamos prontos para voltar à carga quando omercado permitir. Temos de procurar a taxa mais barata, porquea companhia não tem necessidade desses recursos", completouele, sem prever uma data para que a operação aconteça. A empresa tinha intenção de usar os 500 milhões de reais daoferta de bônus no exterior para compra de terrenos elançamento de novos empreendimentos, no aumento de concessão decrédito aos clientes e na liquidação de dívidas, entre outros. No final de julho, a Cyrela adiou a emissão dos títulos queteriam vencimento em 2017. Os mercados financeiros têm sofridofortes baixas nas últimas semanas devido aos problemas com osetor de crédito imobiliário de alto risco dos Estados Unidos,o chamado subprime. LUCRO SOBE A Cyrela divulgou nesta quarta-feira que teve lucro líquidono primeiro semestre de 241 milhões de reais, aumento de 84,7por cento sobre o mesmo período de 2006. De janeiro a junho, as vendas contratadas subiram 72,1 porcento, para 1,372 bilhão de reais. A receita líquida daincorporadora nos seis meses foi de 659 milhões de reais, ante493 milhões de reais um ano antes. A geração de caixa medida pelo Ebitda (sigla em inglês paralucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação)totalizou 169 milhões de reais até junho, crescimento de 17,5por cento na comparação anual.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.