Cyrela se desfaz de fatia na Agra por R$ 304,5 milhões

A Cyrela, maior incorporadora imobiliária do país, vendeu sua fatia de 23,1 por cento na construtora Agra, após uma tentativa frustrada de incorporar a empresa no ano passado e três semanas após o anúncio de união desta companhia com Abyara e Klabin Segall.

REUTERS

25 de setembro de 2009 | 19h13

Em breve fato relevante nesta sexta-feira, a Cyrela não informou o motivo para sair do capital da Agra.

A Cyrela vendeu as 55.369.493 ações ordinárias da Agra que detinha por 304,5 milhões de reais à BRF Investimentos e Participações e para a Caripó, metade para cada uma.

Procuradas para dar informações sobre o negócio e a respeito dos compradores, Cyrela e Agra não tinham representantes imediatamente disponíveis para comentar o assunto.

O preço por ação da Agra acertado foi de 5,50 reais, o que representa um prêmio de 5,4 por cento sobre o preço de fechamento do papel nesta sexta-feira, de 5,22 reais.

Em virtude da operação, o acordo de acionistas que existia no bloco de controle da Agra foi rompido, segundo a Cyrela.

Em junho do ano passado, a Cyrela e a Agra assinaram memorando de entendimento para união das empresas, mas em outubro o negócio foi cancelado devido a compromissos assumidos por ambas as companhias junto a parceiros.

Em fevereiro deste ano, a Agra se uniu à Veremonte, do empresário espanhol Henrique Bañuelos, para comprar a Abyara Planejamento Imobiliário. Depois, em maio, a mesma parceria atacou mais uma vez, para adquirir conjuntamente o controle da construtora Klabin Segall.

E, finalmente, no início de setembro, foi anunciada a união de Agra, Abyara e Klabin Segall para criar a Amazon Group Real Estate (Agre), uma companhia que teria no fim do primeiro semestre patrimônio líquido de 1,5 bilhão de reais e banco de terrenos de 19 bilhões de reais.

A Agre vai incorporar as ações das três empresas e será listada no segmento Novo Mercado da BM&FBovespa. A fatia que a Cyrela tinha na Agra de 23,1 por cento, e decidiu vender, se transformaria em 11 por cento do capital dessa empresa resultante.

(Reportagem de Cesar Bianconi)

Tudo o que sabemos sobre:
CONSTRUCAOCYRELAAGRA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.