DAC suspende vôos da Tavaj em Manaus

Após os problemas enfrentados pela Rico Linhas Aéreas, que chegou a ter os vôos suspensos depois do acidente que vitimou 33 pessoas, no dia 14 de maio, o Departamento de Aviação Cível intensificou a fiscalização nas aeronaves da empresas aéreas que atuam na região amazônica. Este semana foi a vez da Tavaj Linhas Aéreas, que está desde segunda-feira sem atender os passageiros porque seus aviões estão em vistoria.A Tavaj, assim como a Rico, atua basicamente no Norte, ligando os principais municípios do Pará e do Amazonas. Ela trabalha com três aviões Fokker 127, um deles está em reforma no hangar da companhia, em Manaus. Como o segundo está deslocado para Belém e o terceiro está em vistoria, a empresa teve que cancelar todos os vôos programados para esta semana que partiam de Manaus.Essa paralisação, faltando poucos dias para o Festival Folclórico de Parintins, festa regional que movimenta muito o Amazonas nesta época do ano, está causando sérios prejuízos à empresa. No mesmo período, ano passado, a Tavaj operou 60 vôos para Parintins, transportando 44 passageiros em cada um deles. Multiplicando pelo valor da passagem aérea, R$ 360,00, a empresa já deixou de faturar cerca de R$ 950 mil. "Essa paralisação é normal, mas acontecia bem antes do festival. Este ano foi diferente e só nos resta aguardar a normalização dos vôos", disse o gerente da Tavaj, Tenysson Fonseca.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.