finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Dados comerciais da China em China ficam abaixo das expectativas

O desempenho comercial da China melhorou em junho mas ainda ficou abaixo das previsões do mercado, reforçando as expectativas de que Pequim terá que adotar mais medidas de estímulo para estabilizar a economia e cumprir sua meta de crescimento em 2014.

AILEEN WANG E KOH GUI QING, REUTERS

10 de julho de 2014 | 07h36

As exportações subiram 7,2 por cento em junho ante o ano anterior, o melhor ritmo em cinco meses, mas bem abaixo da expectativa em pesquisa da Reuters de alta de 10,6 por cento.

As importações também ficaram abaixo do esperado ao crescerem 5,5 por cento contra expectativa de 5,8 por cento, embora tenham retornado a território positivo após pequena queda em maio.

As exportações e importações combinadas da China subiram apenas 1,2 por cento nos seis primeiros meses do ano, de acordo com dados divulgados nesta quinta-feira.

"Para a economia se recuperar no segundo semestre deste ano, acreditamos que mais suporte de política é necessário devido à base de recuperação instável", disse Wang Jun, economista do Centro da China para Operações Econômicas Internacionais, um instituto em Pequim.

O escritório da alfândega espera que as exportações acelerem no segundo semestre em linha com a melhora da demanda global, mas o porta-voz Zheng Yuesheng afirmou que a China precisará "investir esforços árduos" para atingir sua meta de crescimento comercial de 7,5 por cento.

A China registrou superávit comercial de 31,6 bilhões de dólares em junho, ante 35,9 bilhões de dólares em maio.

(Reportagem adicional de Xiaoyi Shao)

Tudo o que sabemos sobre:
MACROCHINABALANCA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.