Covid-19

Bill Gates tem um plano para levar a cura do coronavírus ao mundo todo

Dados de estoques de petróleo geram reação confusa no mercado

Os futuros do petróleo cru e da gasolina reagiram de maneira volátil aos dados díspares sobre estoques nos EUA na semana passada. Inicialmente, abandonaram a queda e passaram a subir. Mas essa mudança de direção durou pouco e os contratos eram negociados em baixa, renovando as mínimas do dia.Na New York Mercantile Exchange, o contrato do petróleo cru para julho está caindo 1,43%, para US$ 40,65 o barril. Pouco antes da divulgação dos dados, esse contrato chegou a subir 0,58%. O contrato da gasolina para julho cai 0,95%, para US$ 1,4030 o galão, após ter atingido a máxima do dia de US$ 1,4300 instantes após o dado. Na International Petroleum Exchange (IPE), o contrato do petróleo tipo brent para julho cai 0,91%, para US$ 37,10 o barril.Informações conflitantesOs relatórios trouxeram informações conflitantes. O relatório do Departamento de Energia (DOE) mostrou que os estoques de petróleo cru ficaram inalterados em 298,9 milhões de barris na semana passada, enquanto o Instituto Americano de Petróleo (API), que monitora os estoques para fins industriais, apontou crescimento de 764 mil barris, acima dos 380 mil barris esperados pelos analistas.As informações sobre gasolina também foram díspares. O DOE identificou crescimento de apenas 700 mil barris e o API apontou aumento de 1,650 milhão de barris. O DOE apontou ainda queda dos estoques de produtos reformulados, diminuição de 105 mil de barris importados e recuo de 0,7 da capacidade das refinarias.Em contrapartida, a demanda por gasolina subiu 35 mil barris por dia, para 9,154 milhão de barris e a demanda por destilados aumentou 194 mil, para 4,1 milhões de barris. Os estoques de destilados, por sua vez, caíram 500 mil. Mas os investidores ficaram perdidos, gerando uma reação confusa no preço dos contratos futuros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.