finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Dados dos EUA elevam dólar a R$ 2,31

Os dados positivos da economia dos Estados Unidos e a perspectiva negativa do mercado em relação ao desempenho fiscal do Brasil fizeram o dólar à vista no balcão ultrapassar a barreira dos R$ 2,34 na manhã desta sexta-feira (8). No fim do dia, a moeda norte-americana cedeu e fechou cotada a R$ 2,3150, alta de 0,39%. O avanço na semana foi de 2,71%.

FABRÍCIO DE CASTRO E LUIZ GUILHERME GERBELLI, Agencia Estado

09 de novembro de 2013 | 09h05

O relatório de emprego (payroll) dos EUA foi responsável por mexer com os mercados de todo o mundo. Ele mostrou a criação de 204 mil vagas em outubro, acima da previsão de 120 mil novos postos. Na quarta-feira, o governo americano já havia divulgado um outro dado que surpreendeu positivamente o mercado: o Produto Interno Bruto (PIB) anualizado avançou 2,8% entre julho e setembro.

"Pela manhã, rolava no mercado o comentário de que os dados dos EUA seriam muito ruins, em torno de 30 mil novas vagas. Então, o pessoal vendeu muito dólar, em lotes grandes", comentou um profissional de um banco, que prefere não se identificar. "Quando os números bons saíram, foi preciso zerar posições", afirmou.

A alta do dólar ante o real era mais intensa que a vista no exterior, onde a moeda americana também subia ante divisas como o dólar australiano e o rand sul-africano. Ao longo da tarde, porém, o dólar reduziu seus ganhos no Brasil, com os investidores em busca de "um preço mais razoável para a moeda". "Muitos stops ocorreram após o payroll, mas agora o real está mais próximo do que é visto no exterior para outras moedas", comentou o profissional do banco, em referência à desaceleração. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
dólarEUApayroll

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.