Dados fracos da China afetam bolsas na Ásia

Índices acionários na Ásia não mostraram uma tendência comum, com os pregões em Tóquio e Xangai encerrando praticamente estáveis, após números da indústria chinesa sugerindo que aquela economia está desacelerando enfraquecerem o sentimento do investidor.

REUTERS

20 de novembro de 2014 | 09h48

A preliminar do índice de gerentes de compras (PMI) HSBC/Markit recuou para 50 em novembro, mínima em seis meses, após marcar 50,4 na leitura final de outubro. O dado também ficou abaixo da previsão de analistas, de 50,3.

"As pressões desinflacionárias permanecem fortes e o mercado de trabalho mostrou novos sinais de enfraquecimento", disse o economista-chefe do HSBC China, Qu Hongbin.

Às 9h40 (horário de Brasília), o índice MSCI, que reúne ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão <.miapj0000pus> caía 0,36 por cento.

Em Tóquio, o Nikkei reduziu ganhos iniciais e fechou quase estável, em dia com exportadoras no azul amparadas na desvalorização do iene para uma mínima de sete anos frente ao dólar.

PONTUAÇÃO VARIAÇÃO %

Nikkei 17.300 +0,07

Hong Kong 23.349 -0,10

Xangai 2.452 +0,07

Seul 1.958 -0,45

Taiwan 9.078 +1,29

Cingapura 3.315 -0,57

Sydney 5.316 -0,98

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAASIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.