Dados mostram recessão nos EUA mais profunda que o estimado

A recessão nos Estados Unidos foi mais severa que o inicialmente estimado, informou o governo nesta sexta-feira em uma série de revisões de dados que também mostraram que o crescimento econômico no final do ano passado foi mais fraco que o anteriormente pensado.

REUTERS

30 de julho de 2010 | 12h01

Revisões divulgadas pelo Departamento de Comércio apontaram que o Produto Interno Bruto (PIB) se contraiu 2,6 por cento no ano passado e que a economia não cresceu em 2008.

Inicialmente, o governo havia divulgado queda de 2,4 por cento em 2009, após expansão de 0,4 por cento no ano anterior.

O departamento disse que as revisões, que refletem dados mais abrangentes, não mudam drasticamente o quadro da atividade ecoômica.

O país entrou em recessão em dezembro de 2007, mas voltou a crescer no segundo semestre de 2009. A recessão foi a mais longa e profunda desde a década de 1930.

O departamento cortou o dado de crescimento do quarto trimestre do ano passado para uma taxa anual de 5,0 por cento, ao invés de 5,6 por cento.

As revisões nas leituras anuais refletem, em grande parte, ajustes para baixo nos gastos dos consumidores e em construção de moradias.

A taxa de poupança, que saltou durante a recessão diante do corte de gastos pela cautela das famílias, foi revisada para 5,9 por cento, frente a 4,2 por cento em 2009.

Tudo o que sabemos sobre:
MACROEUARECESSAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.