Dados pessoais estão expostos na internet

Falta de privacidade na rede foi evidenciada pelo escândalo do esquema de monitoramento do governo dos EUA

Camilo Rocha, O Estado de S.Paulo

15 de julho de 2013 | 02h07

O escândalo que revelou uma vasta rede de vigilância do governo norte-americano na internet e em linhas de celular trouxe à tona outra vez a questão da segurança e da privacidade para o usuário comum.

Um relatório da ONU publicado em junho alertou para o perigo de "se confundir o limite entre esfera pública e privada". Além da questão de princípio, poder usar a rede com segurança e privacidade diz respeito à segurança individual.

José Matias Neto, diretor de suporte técnico para a América Latina da empresa de software de segurança McAfee, ressalta a importância de se preservar os dois ambientes, "a rede em que se navega e a máquina".

Matias também alerta para o uso descuidado de Wi-Fi público. "Eu não recomendaria a troca de dados sigilosos ou privados. Alguém pode facilmente copiar as informações."

A recomendação ecoa o texto da ONU, que diz que a tecnologia "facilita o monitoramento invasivo e arbitrário". Matias acredita que adolescentes brasileiros são um grupo bastante exposto. "É comum usarem a internet seis dias por semana e são os que mais postam fotos e vídeos em todo o mundo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.