DaimlerChrysler abre 450 novas vagas em São Bernardo

Das novas vagas, 140 são aprendizes e funcionários terceirizados que foram efetivados em maio. As 310 restantes serão preenchidas durante este mês

Agencia Estado

14 de junho de 2007 | 16h47

O aumento da demanda por caminhões, puxado especialmente pelos segmentos de transporte de cana, mineração e construção civil - que provoca filas de espera de até seis meses para alguns modelos - leva a indústria a ampliar o quadro de funcionários. A DaimlerChrysler anunciou nesta terça-feira, 12, 450 contratações em São Bernardo do Campo (SP). Na fábrica da Volkswagen em Resende (RJ) serão abertas 200 vagas.Segundo a DaimlerChrysler, dona da marca Mercedes-Benz, das novas vagas, 140 são aprendizes e funcionários terceirizados que foram efetivados em maio. As 310 restantes serão preenchidas durante este mês. O grupo passa a empregar 12 mil pessoas que operam em dois turnos de trabalho. A empresa não divulgou em quanto a produção será ampliada.A Volkswagen vai ampliar sua produção de 165 para 185 a 200 veículos ao dia, em dois turnos de produção. A demora para entrega de alguns modelos da marca varia de 60 a 70 dias, quando o normal é de 30 a 40 dias. "Pretendemos resolver o problema da fila e garantir o fornecimento sem longas esperas, acompanhando o crescimento do País", diz Roberto Cortes, presidente da Volkswagen Caminhões e Ônibus. Na Scania, a fila de espera chega a seis meses e, na Volvo, a quatro meses.As novas contratações na Volkswagen serão feitas pelos fornecedores de componentes que operam dentro da fábrica, em um consórcio modular. O complexo passará a empregar 3,9 mil pessoas.A indústria projeta vendas superiores a 80 mil caminhões este ano, um dos melhores resultados em três décadas. No segmento de carros e comerciais leves, que deve bater recorde de vendas, com 2 milhões de unidades, também houve contratações recentes. A Fiat está ampliando o quadro em 1,7 mil pessoas em Betim (MG) e a Volkswagen abriu 700 vagas temporárias em Taubaté (SP). No ano, as montadoras criaram 4 mil postos.NúmerosDados da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) apontam que, de janeiro a maio, as vendas de caminhões aumentaram 24% ante igual período de 2006, para 37,1 mil unidades. Os negócios com ônibus cresceram 22%, para 10,8 mil unidades.As vendas de caminhões Mercedes cresceram 20,4%, para 12,2 mil unidades, e as de ônibus, 26,1%, para 5.796 unidades. A Volkswagen cresceu 18,9% em caminhões (10,3 mil unidades) e 23,9% em ônibus (3 mil unidades).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.