Edu Andrade/Ministério da Economia
Edu Andrade/Ministério da Economia

Daniella Marques assume a presidência da Caixa após saída de Pedro Guimarães

Ex-secretária do Ministério da Economia, Daniella foi empossada na noite desta sexta pelo conselho de administração

Thaís Barcellos , O Estado de S.Paulo

01 de julho de 2022 | 23h35

BRASÍLIA - A Caixa informou nesta sexta-feira, 1.º, que a nova presidente do banco, Daniella Marques, foi empossada, após conclusão dos trâmites internos de governança. Daniella foi nomeada presidente do banco público na última quarta-feira, 29, depois de o ex-presidente Pedro Guimarães ser exonerado em meio à denúncias de assédio sexual.

A cerimônia de posse da ex-secretária de Competitividade e Produtividade do Ministério da Economia será na próxima terça-feira, 5.

Guimarães é alvo de denúncias de assédio sexual a funcionárias da Caixa, reveladas pelo site Metrópoles, e investigadas pelo Ministério Público Federal. Ele nega as acusações.

Em comunicado, a Caixa também informou que o conselho de administração do banco acatou a carta de renúncia de Celso Barbosa, até então vice-presidente de negócios de atacado.

Barbosa, que era visto internamente como "número 2"de Guimarães, foi citado em uma das denúncias de assédio sexual que levaram à queda do ex-presidente da Caixa.

Braço direito de Paulo Guedes

Nomeada para o comando da Caixa, Daniella Marques é uma espécie de "braço-direito" do ministro da Economia, Paulo Guedes, desde os tempos em que ele atuava na iniciativa privada.

Ela assumiu a secretaria especial de Produtividade e Competitividade do Ministério da Economia no começo deste ano. Na função, vinha liderando projetos voltados para o público feminino, no qual o presidente Jair Bolsonaro amarga forte rejeição.

Formada em Administração pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) do Rio de Janeiro e com MBA em Finanças pelo Ibmec/RJ, Daniella atuou por 20 anos no mercado financeiro. Ela foi sócia de Guedes na Bozano Investimentos, no Rio de Janeiro, e deixou a gestora em 2019 para trabalhar com o ministro como assessora especial.

Presente desde a campanha de 2018, Daniella tem a confiança do presidente Jair Bolsonaro e já chegou a participar das tradicionais lives de quinta-feira do chefe do Executivo - justamente para divulgar ações do Ministério da Economia voltadas às mulheres.

Daniella foi responsável por costurar o programa "Brasil Pra Elas", uma política de crédito voltada para estimular o empreendedorismo feminino no País. A medida, que faz parte de um pacote que pretende movimentar entre R$ 82 bilhões em R$ 100 bilhões em crédito, foi lançada em março, no último dia internacional das mulheres.

Pouco depois, ela passou a comandar o Comitê Nacional do programa, que tem como parceiros o Sebrae, a Confederação Nacional da Indústria (CNI), a Confederação Nacional do Comércio (CNC), o Banco do Brasil a Caixa Econômica, governos estaduais e municipais.

No fim de semana passado, Daniella tinha, por exemplo, viagem marcada a Belo Horizonte com a "Caravana Brasil Pra Elas", em que se promoveram cursos de capacitação e palestras para "alavancar a participação feminina nos negócios", de acordo com informações divulgadas no site do Ministério da Economia.

Em abril, em um encontro com empresários, ela acompanhou o tom das falas de Guedes ao minimizar as projeções do mercado para a economia em 2022. Segundo afirmou à época, os resultados de leilões e a recuperação de empregos são os pontos de otimismo para o governo. Daniella cutucou governos estaduais e locais ao dizer que “bondades” como aumentos de salário para o funcionalismo só foram possíveis graças ao governo federal. “Assim, todos os prefeitos e governadores ficaram bons gestores”, destacou no evento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.