Dasa pagará R$ 88 milhões por fatias em empresas da MD1 Diagnósticos

Pelos termos do memorando, a Dasa vai adquirir fatias de 10% da Pro Echo, 28% da CRMI e 16,5% da CDPI

Luana Pavani, da Agência Estado,

30 de agosto de 2010 | 09h01

A Dasa (Diagnósticos da América S.A.), de medicina diagnóstica, anuncia ter assinado memorando de entendimentos com a MD1 Diagnósticos, empresa do ramo de análises clínicas e diagnóstico por imagens que tem entre seus acionistas o empresário Edson Godoy Bueno, fundador da Amil, e a JPLSPE Empreendimentos e Participações, controladora da Amil Participações.

A proposta é de incorporar as ações da MD1, a qual fará uma reorganização societária de ativos: os laboratórios Sérgio Franco; a Clínica de Diagnóstico por Imagem CDPI, a clínica de ressonância CRMI e a Pro Echo Cardiodata Serviços Médicos; de forma que a MD1 tenha quase a totalidade das cotas dessas sociedades. Pelos termos do memorando, a Dasa vai adquirir diretamente fatias de 10% da Pro Echo, 28% da CRMI e 16,5% da CDPI, por R$ 88,2 milhões.

Após a reorganização societária da MD1, a Dasa fará então emissão de novas ações a serem entregues aos acionistas daquela empresa, sendo que a relação de troca será estabelecida com base no valor econômico da MD1, estimado em 26,36% do capital social da Dasa, como explica o fato relevante. "A incorporação permitirá à companhia o fortalecimento de sua posição em tais mercados, além de possibilitar a exploração de outros ativos operacionais dos acionistas da MD1", afirma a Dasa.

A incorporação está sujeita à aprovação dos acionistas de cada uma das partes, em assembleias a serem convocadas, e a transação será submetida aos órgãos do Sistema Brasileiro de Defesa da Concorrência. O IGC Partners assessorou a Dasa na transação e a MD1 contou com o Credit Suisse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.