Kin Cheung/AP
Kin Cheung/AP

De olho em pacote fiscal nos EUA, Bolsas da Europa têm leve alta; Ásia fecha sem sinal único

Na terça-feira, 9, uma queda nos rendimentos dos Treasuries de longo prazo ajudou a impulsionar as Bolsas de Nova York, em especial a Nasdaq, que saltou 3,69%

Sergio Caldas, O Estado de S.Paulo

10 de março de 2021 | 08h00

As Bolsas da Ásia e do Pacífico fecharam sem direção única nesta quarta-feira, 10, à medida que investidores continuam atentos ao comportamento dos juros dos Treasuries, os títulos do Tesouro dos Estados Unidos, que caíram na terça-feira, 9, mas voltaram a subir durante a madrugada. 

Os movimentos dos Treasuries permanecem no radar, uma vez que a recente tendência de alta dos juros dos papéis que formam a dívida federal dos Estados Unidos vem alimentando expectativas de pressões inflacionárias, que podem eventualmente levar bancos centrais a rever suas medidas de estímulo monetário, num momento em que a economia global se recupera dos efeitos da pandemia de covid-19.

Na terça, uma queda nos rendimentos dos Treasuries de longo prazo ajudou a impulsionar as Bolsas de Nova York, em especial a Nasdaq, que saltou 3,69%, no melhor dia desde novembro do índice que é em boa parte formado por ações de tecnologia. Nas últimas horas, porém, os retornos dos Treasuries voltaram a apontar para cima.

Participantes dos mercados asiáticos também acompanharam os últimos números de inflação da China. O índice de preços ao produtor (PPI) teve forte aumento anual de 1,7% em fevereiro, depois de avançar 0,3% em janeiro. O índice de preços ao consumidor (CPI) chinês, por sua vez, teve queda anual de 0,2% em fevereiro, após cair 0,3% no mês anterior.

Bolsas da Ásia 

O índice acionário japonês Nikkei ficou praticamente estável em Tóquio, com alta marginal de 0,03%, a 29.036,56 pontos, enquanto o Hang Seng avançou 0,47% em Hong Kong, a 28.907,52 pontos, e o Taiex registrou ganho de 0,37% em Taiwan, a 15.911,67 pontos. Já em Seul, o sul-coreano Kospi recuou 0,60%, a 2.958,12 pontos, acumulando perdas pelo quinto pregão consecutivo.

Na China continental, o Xangai Composto encerrou a sessão em ligeira baixa de 0,05%, a 3.357,74 pontos, enquanto o menos abrangente Shenzhen Composto subiu 0,21%, a 2.165,35 pontos.

Na Oceania, a Bolsa australiana ficou no vermelho, à medida que quedas nos preços do petróleo e do minério de ferro derrubaram ações de petrolíferas e mineradoras negociadas em Sydney. O S&P/ASX 200 caiu 0,84%, a 6.714,10 pontos. 

Bolsas da Europa

As Bolsas europeias operam em leve alta na manhã desta quarta-feira, se recuperando de perdas no começo do pregão, após o rali de ações de tecnologia vista ontem em Nova York e na expectativa de que o Congresso americano conclua ainda nesta quarta a tramitação do pacote fiscal trilionário proposto pelo governo dos EUA. Investidores, porém, continuam atentos aos juros dos Treasuries, que caíram na terça, mas voltaram a subir nas últimas horas.

Às 6h41, no horário de Brasília, o índice pan-europeu Stoxx 600 avançava 0,17%, a 421,14 pontos.

Com a agenda de indicadores da Europa esvaziada, investidores na Europa também vão acompanhar nas próximas horas os últimos números de inflação ao consumidor dos EUA, num momento em que a recente tendência de alta dos juros dos Treasuries alimenta preocupações sobre um eventual salto na inflação que justifique iniciativas de aperto monetário.

Também às 6h41, a Bolsa de Frankfurt avançava 0,34% e a de Paris subia 0,58%, mas a de Londres caía 0,08%, após chegar a ensaiar uma recuperação minutos antes. Já as de Milão, Madri e Lisboa tinham ganhos de 0,44%, 0,52% e 0,12%, respectivamente. 

Petróleo 

Os contratos futuros do petróleo WTI passaram a operar em leve alta nesta manhã, ensaiando uma recuperação após acumularem perdas nas duas últimas sessões. Embora os estoques de petróleo bruto dos EUA tenham saltado 12,8 milhões de barris na última semana, segundo pesquisa do American Petroleum Institute (API), há expectativa de que o pacote fiscal de US$ 1,9 trilhão proposto pelo governo dos EUA receba aprovação final no Congresso americano ainda hoje. Nas próximas horas, o Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) americano vai publicar o levantamento oficial sobre estoques dos EUA, que inclui números de produção. Às 7h32 (de Brasília), o barril do petróleo WTI para abril subia 0,16% na Nymex, a US$ 64,11, enquanto o do Brent para maio recuava 0,07% na ICE, a US$ 67,47. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.