De todas as aéreas, Varig tem maior queda de eficiência

Dados do antigo Departamento de Aviação Civil (DAC), órgão substituído pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), apontam que a eficiência operacional da Varig nos vôos domésticos teve a maior queda de todas as companhias aéreas: de 70% em março para 61% em abril. Este número é uma combinação dos índices de regularidade e pontualidade. O índice de regularidade mede a proporção das etapas de vôo previstas e efetivamente realizadas. Neste quesito, o índice da Varig também recuou de 77% em março para 69% no mês passado. A pontualidade indica as etapas de vôo realizadas dentro dos horários previstos. Nessa área, a empresa se manteve estável, com 89% das freqüências sem atraso, contra 90% de março.O índice de eficiência operacional da Gol caiu de 93% em março para 91% em abril. O da TAM manteve-se estável em 92% no período. A eficiência da BRA foi de 90% no mês passado, um ponto de recuo frente a março. A Gol teve 93% de horários de vôos programados cumpridos no ambiente doméstico em abril, dois pontos abaixo do mês anterior. A TAM teve índice de pontualidade de 97% (estável). O índice de pontualidade da BRA foi de 90%, um ponto abaixo do mês anterior.Na média, o índice de eficiência do setor baixou em abril, somando 84%, contra 87% de março. A OceanAir continuou com números abaixo da média da indústria, embora apresentando melhora. No quesito eficiência, ela registrou 51% em abril, com alta frente aos 39% de março. A pontualidade da OceanAir foi de 57% em abril, melhor em relação aos 40% de março.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.