Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Debate sobre juros nos EUA pode afetar negócios no Brasil

Bolsas no exterior já têm os resultados afetados nesta quinta-feira pela expectativa em relação ao corte nas taxas americanas ainda neste mês

O Estado de S.Paulo

19 de julho de 2019 | 08h58

Com o recesso no Congresso e uma agenda fraca de indicadores e no governo nesta sexta-feira, 19, o mercado brasileiro deve ser afetado pelo movimento no exterior, onde cresce a perspectiva de corte de juros pelo Federal Reserve (Fed, o banco central americano) no fim deste mês - a discussão agora é quanto ao tamanho desse corte.

Como reflexo dessa possibilidade, o dólar se fortalece no exterior nesta manhã. No Brasil, nesta quinta-feira, a moeda americana caiu para o menor patamar desde 19 de fevereiro, fechando o dia aos R$ 3,7290.

Espera pelo FGTS

O investidor brasileiro monitora também as discussões em torno do anúncio da liberação para saques do Fundo de Garantia do Tempo de Servido (FGTS) e do PIS/Pasep, que será realizado na próxima quarta-feira, 24. 

A medida, antecipada pelo Estado, seria anunciada nesta quinta, mas o governo adiou a divulgação, após pressão do setor da construção civil, alegando que os técnicos do Ministério da Economia ainda não haviam concluído o trabalho. 

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzonni, garantiu que a parcela do fundo para os empréstimos imobiliários e para o Programa Minha Casa Minha Vida com recursos do FGTS será preservada

Uma das opções em estudo seria liberar o saque anual de parcela do FGTS como forma de garantir um estímulo constate à economia. Se optar por essa modalidade de saque, o cotista abriria mão de resgatar o dinheiro em caso de demissão. 

Bolsa

O preços das ações do ressegurador IRB Brasil Re para sua oferta subsequente (follow on) passou de R$ 90 para R$ 88. Entre os motivos estão empecilhos jurídicos para alocar as partes relacionadas ao fundo de pensão do Banco do Brasil (Previ) e gestoras de recursos ligadas aos bancos controladores e às instituições que estavam assessorando a oferta.

O investidor acompanha também os planos do governo para a privatização da Eletrobrás. E deve ficar atento aos papéis da Qualicorp, que anunciou redução de capital

Cenário externo

As Bolsas da Europa voltaram a operar em alta com a sinalização de que o banco central americano  reduzirá sua taxa de juros este mês e que medidas para incentivar a economia podem ser tomadas por outras autoridades monetárias no mundo. 

A expectativa em relação aos juros nos Estados Unidos também afetou positivamente o mercado de ações da Ásia. / Silvana Rocha, Maria Regina Silva,  Niviane Magalhães e Renato Carvalho

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.