Debate sobre tecnologia na escola está atrasado, diz pesquisadora

Especialista defende políticas públicas voltadas a melhorar o acesso a tecnologias, de forma a tornar mais igualitária a competição após a fase escolar

O Estado de S.Paulo

28 de abril de 2016 | 16h20

A tecnologia está presente no dia a dia das pessoas e é uma ferramenta poderosa para a educação. Entretanto, o debate sobre o tema está em um patamar anterior, principalmente nas escolas públicas. A análise é da pesquisadora da Universidade de Columbia Fernanda Rosa, que defende mais qualidade no acesso à tecnologia para que alunos tenham condições de competir em pé de igualdade ao se formarem.

"Na escola pública, temos de fazer com que a criança supere suas deficiências para concorrer em pé de igualdade fora da escola", defende a pesquisadora. Entretanto, ela reconhece que ainda há barreiras contra esse processo: "Muitas vezes, o currículo não é claro".

A entrevista foi gravada durante o Lemann Dialogue, uma conferência que reúne alunos bolsistas da Fundação Lemann das Universidades de Columbia, Harvard, Illinois e Stanford.

O conteúdo integra a plataforma UM BRASIL, idealizada pela FecomercioSP, que nesta série conta com a parceria do Columbia Global Center no Rio de Janeiro e do Lemann Center for Brazilian Studies da Universidade Columbia.

As gravações aconteceram em Nova York, entre os dias 16 e 20 de novembro de 2015. Confira aqui a íntegra da entrevista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.