Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Decisão argentina sobre YPF não prejudicará América do Sul, diz Patriota

Ministro das Relações Exteriores vai receber o ministro do Planejamento argentino, Julio De Vido, para discutir o tema e obter mais informações sobre a nacionalização da empresa

Iuri Dantas, da Agência Estado,

18 de abril de 2012 | 17h09

O ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, disse não acreditar que a decisão do governo argentino de tomar o controle da petroleira YPF, subsidiária da espanhola Repsol, vá prejudicar as relações da América do Sul com a Europa. "As relações com a Europa são excelentes", disse. Patriota informou que vai receber nesta quinta-feira, 19, o ministro do Planejamento argentino, Julio De Vido, para discutir o tema e obter mais informações sobre a nacionalização da empresa.

Patriota concedeu entrevista ao lado de seu colega Alfredo Moreno, chanceler do Chile. Indagado sobre a decisão argentina, o chileno declinou de comentários específicos, mas defendeu que países da região sigam as normas internacionais e a legislação interna em suas decisões econômicas.

Tudo o que sabemos sobre:
PatriotaRepsolYPF

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.