Decisão da Bombardier preocupa Furlan

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan disse que o governo brasileiro avalia com preocupação a decisão da empresa canadense Bombardier lançar uma nova série de jatos regionais, a Série C, que vai competir diretamente com as aeronaves fabricadas pela brasileira Embraer. O Brasil acredita que o financiamento para o desenvolvimento das aeronaves da Bombardier contará com um forte apoio do governo canadense. Segundo ele, caso o subsídio seja confirmado, o Brasil poderá inclusive apresentar uma reclamação junto à Organização Mundial do Comércio (OMC), reabrindo a disputa comercial entre os dois países em torno do tema."Nos parece inadequado que a Bombardier resolva lançar uma linha de aviões para competir com os da Embraer usando para isso recursos a fundo perdido de fonte pública para desenvolver esse projeto", disse Furlan. "Estamos avaliando o caso e se considerarmos necessário poderemos pedir compensação junto à OMC." Furlan observou que as famílias 170 e 190 de jatos regionais Embraer foram desenvolvidas com recursos da própria empresa brasileira. "Ou seja, caso confirmado um apoio financeiro do governo canadense, está claro que isso não é correto."O ministro não acredita que os novos aviões da Bombardier, que somente serão fabricados dentro de três ou quatro anos, não deverão representar uma ameaça aos jatos da mesma categoria da Embraer. "A Embraer já está firme nesse mercado e possuiu uma clara vantagem competitiva nesse setor", disse. "Mas é preciso garantir que as empresas operem com regras niveladas e justas."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.