Imagem Fernando Dantas
Colunista
Fernando Dantas
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Decisão da Fitch reforça sensação de beco sem saída

Não foi uma grande surpresa o rebaixamento do rating soberano do Brasil pela Fitch para BBB-, o nível mínimo do grau de investimento. Mesmo a manutenção da perspectiva negativa já era um cenário antevisto por uma corrente de analistas. Ainda assim, a notícia reforça o tom cada vez mais soturno da conjuntura econômica brasileira. Agora torna-se possível, até provável, que o Brasil se veja privado do grau de investimento pela segunda das três principais agências de rating dentro de um prazo que não deve exceder o fim do primeiro semestre do ano que vem.

Fernando Dantas, O Estado de S. Paulo)

15 de outubro de 2015 | 22h52

O Brasil já perdeu o grau de investimento pela Standard & Poor’s e a Moody’s vem sinalizando que está confortável por enquanto com a classificação Baa3 (mínima para ter o grau) com perspectiva estável. 

Assim, de certa forma, o jogo está nas mãos da Fitch. Como nota um conhecido gestor, que preferiu falar anonimamente, “caso a Fitch tivesse mudado a perspectiva para estável com o rebaixamento, seria uma boa notícia para o Brasil, pois compraria tempo”. Infelizmente, isso não aconteceu. 

Na verdade, a conjuntura político-econômica caminha caprichosamente na direção contrária à que apontaria alguma melhora do atual quadro. 

Fernando Rocha, sócio e economista-chefe da gestora JGP, pensa que a equipe econômica deveria ter um plano B para o caso da não aprovação da CPMF. Ele nota que, na audiência do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, na Câmara de Deputados, vários parlamentares alertaram que a CPMF não vai passar. 

Como a tramitação de uma emenda constitucional é lenta, Rocha antevê um cenário em que, com o governo sendo derrotado em meados do ano que vem, não haverá tempo para recompor uma estratégia para garantir o superávit primário.

Rocha lembra ainda que a perda do grau de investimento pela segunda agência não só obriga muitos fundos e investidores institucionais a se desfazer de papéis do País, mas também impede novas aplicações.

A sensação geral é de que o País caminha quase resignado para perder o segundo grau de investimento, como um condenado à morte caminha para a execução. 

Tudo o que sabemos sobre:
grau de investimentofitch

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.