Decisão da OMC sobre algodão é um alerta aos EUA, diz NYT

A decisão preliminar da Organização Mundial do Comércio de aceitar a queixa do Brasil contra os subsídios aos agricultores norte-americanos de algodão é um alerta ao governo de George W. Bush para que reveja sua política de subsídios, diz editorial desta quarta-feira do New York Times. "Se a decisão for confirmada, pode significar o começo do fim para as práticas européias e americanas que dão a seus agricultores uma vantagem injusta", escreve o jornal.Segundo o diário, o "algodão está longe de ser a única cultura que os agricultores americanos são capazes de despejar no mercado internacional a preços baixos graças aos subsídios federais". O jornal diz que as nações ricas distribuem a seus agricultores subsídios que atingem US$ 1 bilhão ao dia. O New York Times destaca ainda que a decisão ajuda "algumas das nações mais pobres do mundo, entre elas as repúblicas da África Ocidental de Mali, Benin e Burkina Faso".O jornal critica "a gritante contradição entre os subsídios agrícolas americanos e os princípios que alicerçam o sistema de comércio" e alerta que, além de representar um problema moral e político para o governo dos EUA agora é também um problema jurídico. Para o diário, Bush deveria aproveitar a decisão da OMC para "negociar a renúncia dos países ricos aos subsídios agrícolas que distorcem o comércio". O editorial lembra do fracasso na reunião da OMC em Cancún e diz que o novo entendimento da organização "irá fortalecer enormemente a posição do Brasil e de outros países que defendem o fim dos subsídios agrícolas que distorcem o comércio".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.