Decisão da UE não afetará exportações do Brasil, diz Pratini

O ministro da Agricultura Pratini de Morais disse hoje que a decisão da União Européia de proibir a importação de carne do Mato Grosso do Sul não afetará em nada as exportações brasileiras. A UE tomou essa medida por causa dos casos de febre aftosa no Paraguai, que faz fronteira com Mato Grosso do Sul. "Eles restringiram a importação de carne de uma região que fica em um raio de 20 quilometros do foco da febre aftosa, o que atingiu apenas uma cidade brasileira, que não é exportadora de carne para a europa" explicou o ministro que participou da inauguração dos laboratórios da empresa Alellyx, em Campinas."Nossos técnicos consideraram que a medida da UE está dentro das regras, mas eu acho que ela é inócua e desnecessária por que o controle do Brasil é eficaz", criticou. " A medida demonstra um sentimento protecionista por parte da europa, crescente " completou.Pratini disse que teve uma reunião com o ministro da Agricultura paraguaio e está sendo desenvolvido um trabalho em conjunto entre as diretorias de defesa animal brasileira e paraguaia. Segundo ele, o Brasil vai apoiar o Paraguai na vacinação de todo o gado e esse país concordou em aplicar as normas brasileiras para o controle da febre aftosa do Brasil. O Brasil sugeriu ao governo paraguaio que se faça a vacinação de todo o gado, o abate dos animais que foram afetados pela doença, o controle dos focos e do transito interno dos animais e inquérito sorológico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.