Decisão do Copom derruba juros

Redução de 1 ponto na taxa Selic contraria expectativa de corte de 0,75 ponto e reforça fundamentos do Brasil

Marisa Castellani, Silvana Rocha e Claudia Violante, O Estadao de S.Paulo

13 de junho de 2009 | 00h00

Os juros futuros derreteram nessa sexta-feira, espremida entre o feriado doméstico e o fim de semana, reagindo ao corte de 1 ponto porcentual pelo Copom, na quarta-feira, que levou a taxa Selic para o nível histórico de um dígito, de 9,25% ao ano. Como a decisão contrariou a expectativa majoritária de redução de 0,75 ponto, o mercado ajustou a curva de juros e as taxas curtas e longas declinaram. O juro para 1º de julho de 2009 caiu a 9,10%; a taxa para agosto de 2009 cedeu a 9,06%; e o vencimento para janeiro de 2010 recuou a 8,93%. Ao mesmo tempo, a medida do BC foi vista como um reflexo dos fundamentos macroeconômicos sólidos do País, já que, no passado não muito distante, a alta de juros era a opção em quadro de crise. Diante da percepção positiva sobre o Brasil, o dólar à vista operou em queda na sessão, na contramão da valorização externa da divisa norte-americana, em meio à expectativa de fluxo positivo para ofertas de ações com potencial esperado de captação entre R$ 13 bilhões e R$ 16 bilhões. O dólar à vista recuou 1,33%, a R$ 1,925 no balcão. A Bovespa subiu 0,28%, aos 53.558,23 pontos. garantindo a 4ª semana seguida de ganhos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.