Decisão do TCU sobre ferrovia Norte-Sul é normal, diz ministro

O ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, considerou normal a decisão do Tribunal de Contas da União de suspender o leilão de concessão da ferrovia Norte-Sul, anunciada esta semana. Segundo Passos, "é comum o TCU pedir esclarecimentos, não é nada estranho. Cabe agora ao Ministério dos Transportes oferecer as informações solicitadas". Segundo o ministro, se mesmo assim o tribunal entender que ajustes ainda deverão ser feitos, o pedido será atendido.De acordo com Passos, que participou nesta sexta-feira de encontro com executivos da Associação Brasileira da Infra-estrutura e das Indústrias de Base (Abidb) em São Paulo, a suspensão do processo não reduz o interesse das empresas que já estão qualificadas para o leilão. Na sua opinião, o que importa é se o projeto é rentável. "Se o projeto tem rentabilidade, eu não tenho dúvida de que a iniciativa privada entrará para ser parceira", disse.Passos reiterou também que o governo federal deverá ser parceiro na construção do trecho sul do Rodoanel em São Paulo, apesar de ainda não ter liberado verbas para a obra. Segundo o ministro, o orçamento previa R$ 34 milhões para este ano, e outros R$ 50 milhões para 2007, valor que, na sua opinião, deverá ser elevado. Ele lembrou que o projeto passou por modificações, o que acabou elevando seu orçamento inicial, de R$ 2,07 bilhões para R$ 3,5 bilhões. "Da mesma forma, a participação do governo federal no projeto, que anteriormente era de 25%, deverá subir para 33%", explicou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.