Decisão sobre IPI de carros só após novembro, diz Miguel Jorge

Governo acompanha dados das vendas para decidir se será necessária nova prorrogação do imposto reduzido

Anne Warth, da Agência Estado,

11 de setembro de 2009 | 10h41

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Miguel Jorge, disse nesta sexta-feira, 11, que o governo acompanhará os dados sobre vendas de automóveis nos próximos meses para, então, decidir se será necessária uma nova prorrogação da redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). "Não anteciparemos em três meses uma discussão desse tipo. Vamos acompanhar a situação em outubro e novembro, como fizemos nos meses anteriores e seguindo o que dissemos. Se for necessário, agiremos", afirmou o ministro, antes de participar da comemoração pelos 20 anos do Guia Oesp Metal Mecânica e Eletrônica, no auditório do Grupo Estado, na capital paulista.

 

Veja também:

linkPIB cresce 1,9% no 2º tri e Brasil sai tecnicamente da recessão

video PIB mostra acerto das medidas do governo, diz ministro

linkBaixa do PIB no 1º semestre é a maior da série, diz IBGE

especialAs medidas do Brasil contra a crise

especialAs medidas do emprego

especialDicionário da crise 

especialLições de 29

especialComo o mundo reage à crise

 

Miguel Jorge reiterou que manterá sua posição contrária à prorrogação do benefício. "Vou dizer, até o dia da prorrogação, até o último minuto, que sou contra. Tenho de dizer isso. É uma questão de mercado", afirmou, fazendo referência às consequências de uma eventual declaração sua sobre as vendas imediatas. "Trabalhei na indústria automotiva e ficava muito irritado quando alguém do governo afirmava que iria prorrogar benefícios ligados ao IPI e as vendas paravam."

Tudo o que sabemos sobre:
IPIMiguel Jorge

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.