Decisão sobre renovação do acordo com FMI sairá em outubro

O governo brasileiro não tomou ainda a decisão de sacar a próxima parcela do empréstimo com o Fundo Monetário Internacional (FMI) a que o Brasil terá direito, se a direção do Fundo aprovar a penúltima revisão. A próxima parcela é de cerca de US$ 4 bilhões. Também não há definição sobre a possibilidade de renovação do acordo com o FMI e, segundo o ministro da Fazenda, Antonio Palocci, esta decisão será tomada pelo governo em outubro.Ele ressaltou que o chefe da missão do FMI, Jorge Marquez-Ruarte, já se manifestou sobre a decisão do fundo de apoiar o País, haja ou não um novo acordo. O ministro comentou ainda que um acordo tem que ser feito quando é indispensável para ajudar para a estabilidade da economia. RevisõesEle informou também que o FMI fará no próximo ano duas revisões do acordo que termina este ano. Segundo ele, essas revisões de acompanhamento estão previstas no programa por conta do empréstimo feito ao Brasil. Segundo o ministro, a penúltima revisão que terminou hoje foi a mais rápida até agora e muito objetiva. "Não houve dificuldade", disse ele. "Nosso acordo continua sendo desenvolvido com total naturalidade", ressaltou, acrescentando que as metas foram atingidas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.