Declaração de Lula repercute na imprensa britânica

A afirmação de que a crise global foi causada por "gente branca, de olhos azuis", feita ontem pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, repercutiu na imprensa britânica. Diversas publicações destacaram a declaração, feita em Brasília ao lado do primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown.

DANIELA MILANESE, Agencia Estado

27 de março de 2009 | 11h00

Para o "The Times", a afirmação ofuscou a proposta dos líderes de criação de um fundo de US$ 100 bilhões para financiar o comércio externo. Além disso, representou um impacto para o plano de Brown de construir um acordo para a reunião do G-20, na semana que vem.

A charge de hoje do jornal traz o premiê britânico vestido com o uniforme da seleção brasileira, fazendo embaixadas e tentando dominar o globo terrestre, com o título: "É só assistir ao Brasil...". Após o encontro com Lula em Brasília, Brown visitou o Museu do Futebol em São Paulo, no Estádio do Pacaembu.

O "Financial Times" destaca na edição de hoje que o primeiro-ministro britânico, fã do esporte, não conseguiu se encontrar com Pelé, que apenas mandou flores a Brown.

"As afirmações de Lula, um ex-líder sindical que teve uma criação pobre no Nordeste brasileiro, avivaram a viagem de cinco dias de Brown pela América do Norte e do Sul", diz o site do The Guardian.

Na TV, a Sky News mostrou o momento da declaração. Em entrevista ao canal, o primeiro-ministro afirmou que Lula usou "palavras fortes", mas que o encontro entre eles foi produtivo.

Em sua edição online, o Financial Times aponta que o premiê britânico pareceu se distanciar da afirmação de Lula ao dizer: "Eu não vou atribuir culpa (da crise) a nenhum indivíduo". Fontes do governo britânico afirmaram ao "The Independent" que as afirmações "controversas foram feitas para consumo doméstico".

Tudo o que sabemos sobre:
LulaGordon BrownReino Unido

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.