Declarações de Lula revoltam agricultores

A indignação tomou conta da Federação da Agricultura do Paraná (Faep) ao tomar conhecimento, no início da noite de ontem, de que o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, teria chamado de "cretinice" as ações de alguns representantes do setor rural. "Mostra que ele desconhece a situação econômica do País e da agricultura", disse o assessor da entidade, Carlos Augusto Albuquerque, reproduzindo o pensamento do presidente Ágide Meneguette. "É mais uma frase infeliz que volta e meia ele solta, ao falar de coisas que não conhece."De acordo com a Faep, com essa declaração tem-se a impressão de que o presidente estaria desautorizando os ministros da Agricultura, Planejamento e Fazenda, que foram nomeados por ele para estudar uma saída para a crise. "As medidas são para esses agricultores que ele critica", acentuou Albuquerque. "Qual a verdadeira posição do presidente? Ele está desautorizando os três ministros que mandou estudar o assunto ou foi somente um teatro?"O presidente do Sindicato Rural de Rolândia, Moacir Canônico, também não conseguiu esconder sua revolta. "É uma brincadeira", afirmou. "Isso mostra qual a preocupação dele com a gente." Canônico disse que iria comprar o jornal para mostrar aos agricultores da região. "Nós estamos decepcionados e com medo, porque parece que o governo quer fazer uma reforma agrária branca. Provoca a insolvência e o agricultor é obrigado a dar a terra para pagar as dívidas", acentuou. "Tenho receio de que essa seja a intenção, mas vamos esperar até o dia 25. Tomara que esteja errado."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.