Declarações de O?Neill repercutem mal

As autoridades brasileiras presentes ao Fórum Econômico Mundial criticaram fortemente as declarações do secretário do Tesouro americano, Paul O´Neill, de que as altas taxas de juros no Brasil são conseqüência da visão do mercado de que o país tem problemas de corrupção e de cumprimento da lei."Equívoco gigantesco""É um equívoco gigantesco, e, quando sai de uma pessoa informada, é proposital", disse o governador do Ceará, Tasso Jereissati. Para Jereissati, as taxas de juros no Brasil "são diretamente proporcionais à vulnerabilidade dos países pobres" no contexto do atual sistema financeiro internacional, do qual o país central são os Estados Unidos.Para o governador do Ceará, o atual nível de corrupção no Brasil não é diferente do que ocorre em alguns países desenvolvidos.O embaixador do Brasil nos Estados Unidos, Rubens Barbosa, disse que, por não ter estado presente ao debate e não saber o contexto em que a declaração de O´Neill foi feita, preferia não dar uma resposta em caráter definitivo.Caso da Enron"Mas, se for isto mesmo o que ele quis dizer, isto mostra o nível de desconhecimento sobre o Brasil que existe nos Estados Unidos", acrescentou o embaixador. Ele observou que comentários como este mostram uma ignorância sobre o que ocorreu no Brasil nos últimos anos, e arrematou: "É curiosa esta declaração, quando estamos lendo nos jornais o que esta acontecendo no caso Enron", referência à falência da empresa de energia americana, que colocou em xeque o sistema de auditoria contábil no pais e evidenciou ligações embaraçosas entre a cúpula da empresa e a Casa Branca.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.