Decretada prisão preventiva do empresário Artur Falk

O empresário Artur Falk teve sua prisão preventiva decretada nesta quarta-feira, dia 26. A decisão é do desembargador Abel Gomes, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (Rio de Janeiro e Espírito Santo) atendendo a pedido do Ministério Público Federal em Apelação Criminal apresentada pelo próprio Artur Falk. Para o Ministério Público, a prisão preventiva deve ser decretada ?para a garantia da ordem pública e para assegurar a aplicação da lei penal?.Artur Falk foi condenado em primeira instância por gestão fraudulenta e crimes financeiros. Segundo a denúncia do MPF, o réu causou prejuízos ao sistema financeiro nacional, de modo especial a milhões de investidores que adquiriram os títulos de capitalização do Papatudo, conhecido pela razão social Interunion Capitalização S/A.O MPF nos fundamentos do pedido de prisão à Justiça Federal alegou que Falk pressionava o liquidante da Iteruninon e interferiu junto à Superintendência de Seguros Privados ?com vistas a esvaziar o conteúdo das ações judiciais em curso na Justiça Etadual?. Sustenta também que Falk tem dupla nacionalidade e ?possui notória fortuna que lhe permite reconstruir sua vida fora do País, o que parece que já vem sendo feito, haja vista as inúmeras viagens por ele empreendidas?, o que indicaria que ele poderia fugir à ação da Justiça quando bem entendesse.As informações são do site Consumltor Jurídico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.