Decreto aprova o Plano Nacional de Turismo 2013-2016

O governo federal publicou nesta quinta-feira, 25, decreto aprovando o Plano Nacional de Turismo 2013-2016, que pretende posicionar o Brasil como uma das três maiores economias turísticas do mundo até 2022. O decreto estabelece que o detalhamento do plano só sairá em 30 dias por ato do ministro do Turismo. Mas, conforme o jornal O Estado de S.Paulo antecipou ontem, o novo plano traça metas ambiciosas de crescimento no número de turistas estrangeiros que visitam o Brasil, de viagens turísticas de brasileiros pelo País e um aumento de 33% nos postos de trabalho no setor. Também prevê corte de tributos sobre o querosene usado pelas companhias aéreas para estimular a queda no preço das passagens e aumentar o número de viagens domésticas.

LUCI RIBEIRO E JOÃO VILLAVERDE, Agencia Estado

25 de abril de 2013 | 08h40

Entre os principais objetivos das ações está o avanço de 28% no número de visitantes estrangeiros ao Brasil, de forma a atingir 7,9 milhões de turistas internacionais em 2016. Com isso, o governo espera elevar para US$ 10,8 bilhões a receita obtida com essas visitas. No entanto, essa meta só será cumprida caso seja registrado um aumento de 11,87% por ano entre 2013 e 2016, ritmo que é quase o dobro do observado entre 2007 e 2010, de 6,53% por ano. No mercado interno, a meta do governo é aumentar para 250 milhões o número de viagens domésticas de brasileiros até 2016, um salto de 31% em relação às 190,8 milhões realizadas em 2011.

Tudo o que sabemos sobre:
Plano Nacional de Turismodecreto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.