Estadão
Estadão

Dedini chega a acordo sobre pagamento e funcionários encerram greve em Piracicaba

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos do município, a companhia se comprometeu a pagar os R$ 3.750 reivindicados pela classe trabalhadora em seis parcelas

José Roberto Gomes, O Estado de S.Paulo

21 Setembro 2016 | 18h36

SÃO PAULO - A Dedini Indústrias de Base chegou a um acordo sobre o pagamento de Participação nos Lucros e/ou Resultados (PLR), e os quase 1.100 funcionários da empresa em Piracicaba (SP) encerraram nesta quarta-feira, 21, o estado de greve iniciado semana passada. Segundo o diretor do Sindicato dos Metalúrgicos do município, Eduardo Luiz Gozzer, a companhia se comprometeu a pagar os R$ 3.750 reivindicados pela classe trabalhadora em seis parcelas, sendo duas neste ano e outras quatro no próximo - a primeira, de R$ 650, será depositada amanhã. Inicialmente, a Dedini oferecia um PLR de R$ 3.000.

A Dedini já foi a maior fabricante de equipamentos para usinas de cana-de-açúcar e enfrenta dificuldades desde que o setor sucroenergético também entrou em crise, após 2008. Na última segunda-feira seu plano de recuperação judicial foi aprovado por 97% dos credores e encaminhado ao juiz Marcos Douglas Veloso Balbino da Silva, da 2ª Vara Cível de Piracicaba (SP), para homologação. A Dedini havia entrado com pedido de recuperação judicial no ano passado e, no episódio mais recente, demitiu 100 funcionários da unidade de Sertãozinho (SP), que encerrou as atividades e agora está em "hibernação".

A proposta básica do plano de recuperação judicial da companhia é pagar integralmente, já no primeiro ano, os créditos trabalhistas de R$ 36,56 milhões. Também no primeiro ano, e com valor integral, seriam pagas as rescisões trabalhistas extraconcursais, estimadas em cerca de R$ 20 milhões.

Mais conteúdo sobre:
SÃO PAULO Dedini Recuperação Judicial

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.