Déficit comercial dos EUA atinge US$ 34,55 bi em julho

O déficit da balança comercial dos Estados Unidos ficou um pouco abaixo do esperado em julho. Houve exportação de uma quantidade recorde de veículos, e diminuíram as importações de bens de consumo, como televisores e brinquedos. O Departamento do Comércio informou que o déficit comercial caiu para US$ 34,55 bilhões em julho, de um nível revisado de US$ 36,75 bilhões em junho. Anteriormente, o departamento havia registrado déficit de US$ 37,16 bilhões em junho. Os números superaram as projeções de Wall Street. Os 23 economistas consultados pela Dow Jones Newswires e CNBC trabalhavam com um prognóstico médio de déficit de US$ 36,8 bilhões. O relatório mostrou que as importações norte-americanas caíram 1,0% durante o mês, para US$ 117,78 bilhões, enquanto as exportações subiram 1,3%, para US$ 83,23 bilhões. As vendas externas de bens de capital aumentaram em US$ 143 milhões, para US$ 25,28 bilhões em julho, alavancado pelas vendas de US$ 3,3 bilhões de peças para aeronaves civis. O ganho com exportações desses equipamentos foi o mais amplo desde outubro de 1998. Os EUA exportaram ainda um total recorde de US$ 7,1 bilhões em carros, autopeças e motores em julho. O declínio das importações foi motivado, principalmente, pela queda de US$ 583 milhões nas compras de bens de consumo, que incluem brinquedos, televisores e eletroportáteis. As compras externas de bens de capital, com o aviões, equipamentos para telecomunicações e computadores caíram em US$ 263 milhões durante o mês. A queda geral das importações foi ofuscada parcialmente pelo aumento dos preços das importações de petróleo. O preço unitário do barril de petróleo subiu US$ 0,42, para US$ 23,72, enquanto as importações do produto subiram para 9,28 milhões de barris por dia, de 9,20 milhões em junho. BrasilNo comércio com o Brasil, os EUA registraram déficit de US$ 442 milhões em julho, maior do que os US$ 328 milhões de junho, de acordo com dados do Departamento do Comércio. O déficit comercial dos EUA com a Europa Ocidental atingiu o recorde de US$ 10,96 bilhões em julho, de US$ 7,12 bilhões em junho. O déficit com a China também cravou um novo recorde, subindo para US$ 9,34 bilhões, de US$ 8,53 bilhões. Os dados de comércio bilateral não são sazonalmente ajustados. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.