Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Déficit comercial dos EUA sobe a US$ 38,8 bi em agosto

Os EUA apresentaram em agosto um déficit comercial menor que o esperado, com importações e exportações ficando praticamente inalteradas ante o mês anterior. Segundo o Departamento do Comércio, o país teve déficit comercial de US$ 38,8 bilhões em agosto, 0,4% maior que o saldo negativo de julho, mas abaixo do déficit de US$ 39,4 bilhões previsto por analistas consultados pela Dow Jones Newswires. O déficit de julho foi revisado para baixo, a US$ 38,64 bilhões, de US$ 39,15 bilhões originalmente.

Agencia Estado

24 de outubro de 2013 | 11h41

As importações dos EUA quase não se alteraram na passagem de julho para agosto, totalizando US$ 228,02 bilhões com ajuste sazonal, enquanto as exportações tiveram uma ligeira queda de 0,1%, a US$ 189,22 bilhões. As vendas para o Brasil recuaram em agosto.

O pequeno recuo nas exportações reflete quedas nos embarques de insumos para a indústria, incluindo ouro e petróleo, e de alimentos. Por outro lado, as vendas de carros e bens de consumo dos EUA para o exterior cresceram em agosto.

As exportações norte-americanas para a União Europeia cresceram 2,2%, enquanto as importações do bloco caíram 10,6%. Os embarques para a China avançaram 6,2% e as compras de produtos do país asiático subiram 0,9%, em bases não ajustadas. Esses ganhos ajudaram a compensar quedas nas vendas externas para o mercado brasileiro e para o México. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAcomérciodéficit

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.