Déficit comercial dos EUA sobe para US$ 38,46 bi em agosto

O déficit na balança comercial dos EUA se ampliou em agosto, refletindo a importação recorde de bens de consumo, como roupas e brinquedos, e o aumento dos custos das compras de petróleo cru. O Departamento do Comércio informou que o déficit nas transações de bens e serviços subiu para o nível recorde de US$ 38,46 bilhões em agosto, de um nível revisado de US$ 35,07 bilhões em julho. Anteriormente, o departamento havia divulgado déficit de US$ 34,55 bilhões em julho. O vermelho na balança comercial norte-americana foi bem mais forte do que a esperada por Wall Street. Os 20 economistas consultados pela Dow Jones-CNBC previam que o déficit crescesse com mais moderação, ficando em US$ 35,50 bilhões.Combinado com a revisão do dado de julho, os números implicam um crescimento mais lento no terceiro trimestre nos EUA, uma vez que o déficit comercial é subtraído da produção total no cálculo do Produto Interno Bruto (PIB). A economia norte-americana registrou uma expansão de 1,1% no período de abril a junho, após ter crescido 5,0% no primeiro trimestre. Os analistas trabalham com projeções de crescimento entre 3% e 3,5% do PIB do terceiro trimestre. O relatório mostrou que as importações norte-americanas cresceram 2%, para US$ 120,32 bilhões, enquanto as exportações caíram 1,3%, para US$ 81,86 bilhões. As importações de serviços pelos EUA atingiram o recorde de US$ 20,06 bilhões, enquanto as compras externas de bens de consumo, como brinquedos, roupas e televisores, aumentaram em US$ 1,09 bilhão, para o recorde de US$ 26,66 bilhões. As importações de automóveis e autopeças registraram um aumento de US$ 195 milhões, enquanto as compras de bens de capital caíram em US$ 275 milhões, com reduções nas importações de aeronaves, computadores e equipamentos de telecomunicações.O aumento dos preços do petróleo também contribuíram para ampliar o déficit. O barril de petróleo atingiu, em agosto, o preço mais elevado desde dezembro de 2000, custando em média US$ 24,57, acima dos US$ 23,72 de julho. O volume de compras externas de petróleo também cresceu para 9,6 milhões de barris por dia, de 9,3 milhões de barris por dia no mês anterior. Brasil O déficit comercial dos Estados Unidos nas trocas com o Brasil caiu para US$ 397 milhões em agosto, de US$ 442 milhões em julho, conforme os dados do relatório do Departamento do Comércio dos EUA. O déficit comercial dos EUA com a China cravou um novo recorde pelo segundo mês consecutivo, batendo em US$ 10,86 bilhões. Os dados sobre comércio bilateral não são ajustados sazonalmente. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.