Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Déficit comercial dos EUA sobe pela 1ª vez em 8 meses

Sinalizando que a demanda continua fraca, as importações do país têm menor nível desde setembro de 2004

Reuters,

12 de maio de 2009 | 10h00

O déficit comercial dos Estados Unidos aumentou menos que o esperado em março, enquanto as exportações caíram 2,4% e as importações recuaram pelo oitavo mês seguido, mostrou relatório do governo nesta terça-feira, 12.

 

Veja também:

especialAs medidas do Brasil contra a crise

especialAs medidas do emprego

especialDe olho nos sintomas da crise econômica 

especialDicionário da crise 

especialLições de 29

especialComo o mundo reage à crise

 

O déficit comercial subiu para US$ 27,6 bilhões, frente dado revisado para cima de US$ 26,1 bilhões em fevereiro, que foi o menor desde novembro de 1999. Foi a primeira vez que o déficit comercial expandiu-se em sete meses, mas analistas esperavam que ele subisse ainda mais, para US$ 29 bilhões.

 

Sinalizando que a demanda norte-americana continua fraca no primeiro trimestre, as importações do país de bens e serviços recuaram 1% em março para US$ 151,2 bilhões, menor nível desde setembro de 2004.

 

As importações de bens foram as menores desde abril de 2004 e subcategorias como produtos não derivados do petróleo, produtos e materiais para indústria e bens de capital tiveram os menores patamares desde fevereiro, maio e julho de 2004, respectivamente.

 

Os baixos preços de petróleo também continuam a colocar em xeque o valor das importações, ainda que a média dos preços tenha saltado mais de US$ 2 por barril em março, para 41,36 dólares o barril.

 

A média mensal ainda é menor que a metade do nível de março de 2008 de US$ 89,95 o barril, mantendo a taxa de importação de petróleo em pouco mais de US$ 16 bilhões, comparada a US$ 33,1 bilhões no mesmo mês do ano passado.

 

As exportações norte-americanas caíram em março para US$ 123,6 bilhões, após alta no mês de fevereiro. O declínio de março retomou tendência iniciada em julho. As exportações foram as menores desde fevereiro de 2006, enquanto as exportações de bens de capital atingiram a mínima desde outubro de 2005.

 

Para a China, as exportações aumentaram 19,1% em março para US$ 5,6 bilhões, maior nível em cinco meses. Entretanto, as importações norte-americanas vindas da China também se elevaram e o déficit comercial com o país asiático subiu para 15,6 bilhões de dólares em março.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.