Déficit comercial em novembro é o maior já registrado para o mês

No acumulado do ano, balança comercial tem resultado negativo de US$ 4,2 bilhões, o pior resultado desde 1998

Victor Martins e Renata Veríssimo, Agência Estado

01 Dezembro 2014 | 15h05

A balança comercial fechou novembro com déficit de US$ 2,3 bilhões - divulgou nesta segunda-feira, 1, o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). O resultado é o pior para meses de novembro já registrado na série histórica.

O resultado ficou abaixo da mediana do mercado, segundo pesquisa do AE Projeções, da Agência Estado. O levantamento, que ouviu 12 instituições, previa déficit de US$ 2 bilhões a US$ 3 bilhões, com mediana negativa em US$ 2,7 bilhões. 

O valor de novembro é resultado das importações da ordem de US$ 17,9 bilhões, contra US$ 15,6 bilhões em exportações. As exportações brasileiras tiveram queda de 25% em novembro quando comparadas com a média diária de novembro de 2013.

Na soma de janeiro a novembro, o déficit comercial soma US$ 4,2 bilhões, o pior resultado desde 1998.

O resultado deficitário de novembro mostra que "inevitavelmente o saldo em 2014 será negativo", avalia o economista da Tendências Consultoria Integrada Bruno Lavieri. O economista lembra que em 2000 a balança fechou com saldo negativo, mas diz que o dado esperado para 2014 poderá ser o pior desde 1998.

O saldo negativo da balança comercial brasileira em 2014 é resultado de uma retração das vendas externas maior do que a queda das importações. Mesmo com a economia em um ritmo lento, no acumulado deste ano as compras brasileiras no exterior caíram apenas 3,9% em relação a janeiro a novembro de 2013. Por outro lado, as exportações recuaram 5,7% no ano.

12 meses.A diferença entre tudo o que País importou e exportou deixou um saldo negativo, no acumulado de 12 meses até novembro, de US$ 1,5 bilhão - o que não acontecia desde 2000. Em 2013, o acumulado de 12 meses até novembro mostrava uma balança comercial positiva em US$ 1,9 bilhão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.