Déficit comercial recua, mas ainda preocupa a Argentina

O déficit comercial argentino com o Brasil é grande, mas mostra sinais de queda, segundo dados de um relatório do Centro de Estudos Bonaerenses (CEB). As exportações para o mercado brasileiro aumentaram 34,2% em abril em relação ao mesmo mês de 2004. "Em abril recompõe-se parcialmente a balança comercial e relaxa-se a tensão que havia produzido um intercâmbio tão desfavorável. No entanto, a preocupação continua latente", disse o centro.A balança comercial de abril foi US$ 250 milhões deficitária para os argentinos, 25% a menos do que no mesmo mês de 2004. As vendas para o Brasil foram de US$ 514 milhões, compostas principalmente por veículos, autopeças, plásticos, máquinas e equipamentos, trigo e produtos químicos.Desde o início deste ano as exportações argentinas para o Brasil alcançaram US$ 1,897 bilhão, 14,6% a mais do que no mesmo período do ano passado. Desta forma, a Argentina volta a ocupar o segundo lugar no ranking dos principais exportadores para o mercado brasileiro, atrás dos EUA, mas na frente da Alemanha e China. A Argentina desfrutou um superávit comercial com o Brasil durante nove anos, entre 1995 e 2003. O ano passado foi o primeiro que registrou déficit, de US$ 1,8 bilhões. Nos nove anos de superávit com o Brasil, a Argentina acumulou mais de US$ 10 bilhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.