Déficit da balança de eletroeletrônicos cai 9,5% até junho

A indústria de produtos eletroeletrônicos conseguiu reduzir em 9,5% o déficit da balança comercial no primeiro semestre em relação ao mesmo período de 2002. De acordo com a Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), o déficit de janeiro a junho foi de US$ 2,42 bilhões. No período, as exportações cresceram 6,7% e chegaram a US$ 2,16 bilhões. Enquanto isso, as importações registraram uma queda de 2,5% em relação ao mesmo período do ano passado, somando US$ 4,58 bilhões. A Argentina contribuiu para o aumento da exportações. Segundo a Abinee, os negócios para aquele país foram retomados, influenciando positivamente o resultado, em especial no mês de junho. O maior déficit do setor no semestre ficou por conta das importações de componentes produzidos no sudeste asiático. O Brasil exportou US$ 106,1 milhões para a região e importou US$ 1,89 bilhão. As importações de componentes da União Européia também foram responsáveis pelo desequilíbrio: o déficit do Brasil com a UE foi de US$ 789,2 milhões.

Agencia Estado,

21 de agosto de 2003 | 15h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.