Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Déficit da Previdência cresce 53,9% em novembro, com 13º

Saldo negativo soma R$ 4,224 bilhões no mês; no acumulado do ano, déficit nas contas do INSS cai 13,2%

Isabel Sobral, da Agência Estado,

16 de dezembro de 2008 | 11h06

A Previdência Social, administrada pelo Instituto Nacional da Seguridade Social (INSS), registrou em novembro um déficit de R$ 4,224 bilhões, segundo dados divulgados nesta terça-feira, 16, pelo Ministério da Previdência Social. Esse déficit foi 53,9% maior que o registrado em novembro do ano passado, sofrendo o impacto do pagamento de uma parte da segunda parcela do 13º salário dos aposentados e pensionistas. As despesas somaram, em novembro, R$ 17,783 bilhões, um saldo 15,8% superior ao registrado no mesmo mês de 2007. A arrecadação da Previdência totalizou R$ 13,559 bilhões, um número 7,5% maior do que o registrado em novembro de 2007. No acumulado de janeiro a novembro, o déficit da Previdência soma R$ 38,812 bilhões o que significa queda de 13,2% ante o resultado do mesmo período de 2007. As despesas acumuladas somam R$ 182,468 bilhões, 3,5% mais que o acumulado no mesmo período do ano passado, enquanto a arrecadação totaliza R$ 143,656 bilhões, 9,2% acima que o acumulado de janeiro a novembro de 2007. Projeção O secretário de Políticas de Previdência Social, Helmut Schwarzer, informou há pouco que a nova projeção do ministério é que a Previdência feche 2008 com um déficit de até R$ 36,5 bilhões. Esse resultado será equivalente a 1,27% do Produto Interno Bruto (PIB) do País. Se a projeção se confirmar, será a primeira vez, desde 1995, quando a Previdência passou a registrar déficits crescentes anuais, que as contas da Previdência terão uma queda no saldo negativo. Em 2007, o INSS registrou um déficit de R$ 44,8 bilhões, equivalente a 1,75% do PIB. O secretário explicou que essa revisão pode ser feita após a boa evolução da arrecadação da previdência ao longo deste ano, influenciada pela formalização do mercado de trabalho. A previsão anterior do ministério era para um déficit em torno de R$ 38 bilhões. Para o mês de dezembro, a Previdência espera ter uma arrecadação melhor já que todas as contribuições feitas sobre o décimo terceiro salário entrarão no caixa de uma só vez, enquanto, por outro lado, as despesas com o pagamento com o esse benefício já foram divididas ao longo do ano. Em setembro, foi paga a primeira parcela e a segunda está sendo paga entre novembro e dezembro.

Tudo o que sabemos sobre:
PrevidênciaDéficit

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.