Déficit da Previdência tem crescimento real de 8,3% em relação a julho de 2005

A Previdência Social registrou em julho déficit de R$ 3,437 bilhões, valor que representa um crescimento real de 8,3% em relação a julho de 2005 e de 8,8% na comparação com junho deste ano. A arrecadação líquida da Previdência foi de R$ 9,734 bilhões (crescimento real de 11,7% ante julho de 2005) e as despesas com benefícios somaram R$ 13,171 bilhões (crescimento real de 10,7% na comparação com julho de 2005). Se for considerada a CPMF potencialmente destinada à Previdência Social, o déficit de julho cairia para R$ 2,707 bilhões, com crescimento real de 7,3% ante julho de 2005. Isso ocorreria pelo fato de que a arrecadação, considerando a CPMF potencial, seria de R$ 10,464 bilhões, com crescimento de 11,7% ante julho de 2005. No acumulado de janeiro de julho, o déficit da Previdência foi de R$ 22,482 bilhões, um crescimento real de 12,8% ante igual período de 2005. A arrecadação líquida de janeiro a julho foi de R$ 65,134 bilhões, crescimento real de 9%, enquanto as despesas subiram 10% em termos reais, atingindo R$ 87,616 bilhões. Considerando a CPMF potencialmente destinada à Previdência, o déficit nesse período cairia para R$ 17,768 bilhões, com crescimento real de 15,6% ante igual período de 2005. A arrecadação líquida, considerando a CPMF, seria de R$ 69,848 bilhões, com crescimento real de 8,6%.EstimativaO secretário de política de Previdência Social, Helmut Schwarzer, informou nesta quarta que a estimativa para o déficit da Previdência Social neste ano é de R$ 41 bilhões. A previsão oficial anterior do Ministério da Previdência era de R$ 45,8 bilhões, embora o secretário já falasse em resultado negativo da ordem de R$ 43 bilhões. Na projeção atual, Schwarzer considera estimativa de receitas de R$ 122,4 bilhões (mas que segundo ele pode chegar a R$ 123 bilhões) e de despesas com benefícios de R$ 163,4 bilhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.