Déficit do INSS no semestre é o maior da história

O déficit do INSS aumentou 16,6% no primeiro semestre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado. De janeiro a junho, o déficit atingiu R$ 9,6 bilhões. No primeiro semestre de 2002 esse déficit foi de R$ 8,2 bilhões. Esse déficit é, em termos reais (descontada a inflação), é o maior da história do INSS. No mês de junho de 2003 as despesas com pagamento de benefícios superaram a arrecadação em R$ 1,1 bilhão. Esse resultado foi 1,7% maior que o de maio e 4,6% superior ao verificado em junho do ano passado. O secretário da Previdência Social, Helmut Schwarzer, atribuiu a deterioração das contas do INSS à queda da arrecadação das empresas, em consequência da queda dos salários. No acumulado de janeiro a junho, a queda da arrecadação foi de 6% em termos reais, em comparação com o mesmo período de 2002. Também caiu no mesmo período em 2%, as despesas com benefícios previdenciários. Com relação aos benefícios, a queda, segundo Schwarzer, se deu em função da inflação, que corroeu o valor das aposentadorias e pensões pagas pelo INSS.

Agencia Estado,

25 Julho 2003 | 13h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.