Déficit do setor eletroeletrônico cresce 47% até setembro

As exportações do setor eletroeletrônico cresceram 7% de janeiro a setembro sobre o mesmo período do ano passado, registrando US$ 3,75 bilhões. O levantamento , realizado pela Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), mostra que, no mesmo período, as importações cresceram 27,7%, para US$ 9,10 bilhões. No acumulado até o mês passado, o déficit comercial cresceu 47,6% sobre o período janeiro a setembro de 2003, para US$ 5,35 bilhões.A sondagem mensal da Abinee revela que as vendas continuam em alta, segundo informações obtidas das associadas. Para este ano, a perspectiva é de alta de 18% no faturamento nominal do setor, para R$ 75,5 bilhões. Mas o ritmo de crescimento cai para menos da metade em 2005, com alta projetada de 7%, totalizando R$ 81,0 bilhões.O segmento de telecomunicações continuou a ser beneficiado pelo aumento dos negócios na telefonia móvel. Segundo dados da Anatel, citados pela Abinee, em setembro o País superou os 58 milhões de celulares em serviço, 17 milhões acima do resultado apresentado no mesmo mês de 2003. A entidade destacou o aumento da participação dos acessos móveis por tecnologia GSM (15,8 milhões de acessos) que representou 27,2% do total.Para os próximos meses, a expectativa é de melhora nos indicadores da telefonia fixa, em razão de novos investimentos em banda larga e na expansão em sistemas voz IP (Internet Protocol). Para o final deste ano, a expectativa do setor é de que a telefonia fixa mais a móvel totalizem mais de 100 milhões de acessos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.