Déficit em conta corrente do Brasil é o pior em 10 anos

Segundo dados do Banco Central, País registrou saldo negativo de US$ 28,3 bilhões em transações correntes

Fernando Nakagawa e Fabio Graner, da Agência Estado,

26 de janeiro de 2009 | 10h45

O Brasil fechou 2008 com déficit de US$ 28,300 bilhões em transações correntes do balanço de pagamentos, o pior resultado desde 1998, segundo dados divulgados nesta segunda-feira, 26, pelo Banco Central. Isso significa que o País voltou a depender de recursos externos justamente no meio da crise financeira internacional, o que torna a tarefa mais difícil.   Veja também:Investimento estrangeiro no País em 2008 é o maior em 61 anos Desemprego, a terceira fase da crise financeira global De olho nos sintomas da crise econômica  Dicionário da crise  Lições de 29 Como o mundo reage à crise    Apesar disso, o chefe do Departamento Econômico do BC, Altamir Lopes, ressaltou que, a despeito da crise, as contas externas brasileiras não apresentaram deterioração tão expressiva como em crises anteriores, principalmente, porque o Brasil reduziu o seu nível de endividamento externo e passou a ser credor líquido nos últimos meses.   Ele explicou que, antigamente, as crises aumentaram drasticamente o gasto com juros da dívida externa. Em 2008, mesmo com a crise, o gasto com juros - US$ 7,232 bilhões - foi o menor desde 1994, quando a despesa totalizou US$ 6,337 bilhões. "Hoje, temos receitas maiores e menos despesas", afirmou.   Em dezembro, a conta corrente registrou déficit de US$ 2,922 bilhões. Em dezembro de 2007, as transações correntes tiveram déficit de US$ 498 milhões. O resultado ficou dentro das previsões dos analistas consultados pelo AE Projeções, que variavam de déficit de US$ 3,8 bilhões a resultado negativo de US$ 2,1 bilhões.     No acumulado de 2008, a balança comercial teve superávit de US$ 24,746 bilhões. Já a conta de serviços e rendas registrou déficit de US$ 57,234 bilhões. As transações unilaterais somaram ingresso líquido de US$ 4,188 bilhões. Segundo o Banco Central, o resultado das transações correntes em 2008 equivale a déficit de 1,78% do PIB.   Remessas   As remessas de lucros e dividendos somaram US$ 33,875 bilhões no ano passado, um crescimento de 50,6% em relação a 2007. Em dezembro, as remessas atingiram US$ 3,146 bilhões.   Ainda de acordo com os dados do Banco Central, a dívida externa brasileira recuou em dezembro para US$ 200,192 bilhões. Em novembro, a estimativa do BC era que a dívida externa estava em US$ 206,616 bilhões. No último dado fechado do BC, relativo a setembro, registrava a dívida externa em US$ 211,381 bilhões.   A dívida externa de médio e longo prazo somou US$ 162,723 bilhões, ante US$ 161,683 bilhões em novembro e US$ 163,874 bilhões em setembro. A dívida de curto prazo, por sua vez, caiu para US$ 37,470 bilhões, ante US$ 44,933 bilhões em novembro US$ 47,507 bilhões em setembro.

Tudo o que sabemos sobre:
Crise FinanceiraContas Externas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.