Déficit em conta corrente no governo Lula foi 70,5% menor do que na era FHC

Já ingresso de Investimento Estrangeiro Direto (IED) foi maior no governo Lula em comparação ao governo anterior

Fernando Nakagawa e Fabio Graner, da Agência Estado,

25 de janeiro de 2011 | 12h47

O governo de Luiz Inácio Lula da Silva terminou com déficit externo menor e ingresso de Investimento Estrangeiro Direto (IED) maior na comparação com o governo anterior. Dados do Banco Central apresentados mostram que nos oito anos do governo petista o déficit de transações correntes somou US$ 54,977 bilhões. O valor foi 70,5% menor que o observado nos dois mandatos de Fernando Henrique Cardoso, quando o rombo das contas externas somou US$ 186,164 bilhões.

No ingresso de IED, a entrada de dólares foi maior. De 2003 a 2010, a conta registrou ingresso de US$ 216,231 bilhões. O valor foi 32,3% maior que os US$ 163,450 bilhões observados nos oito anos do governo tucano de FHC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.