finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Déficit em conta corrente soma US$ 7,132 bi em outubro

O resultado das transações correntes seguiu negativo em outubro ao registrar um déficit de US$ 7,132 bilhões. O resultado, divulgado nesta sexta-feira, 22, pelo Banco Central, ficou dentro das previsões coletadas pelo AE Projeções, que iam de um saldo negativo de US$ 5 bilhões a US$ 7,6 bilhões, e pouco acima da mediana, que estava em US$ 7 bilhões. Nos dez primeiros meses do ano, o déficit em conta corrente está em US$ 67,548 bilhões, o que representa 3,63% do Produto Interno Bruto (PIB).

CÉLIA FROUFE E EDUARDO CUCOLO, Agencia Estado

22 de novembro de 2013 | 11h05

Já no acumulado dos últimos 12 meses até outubro de 2013, o saldo negativo está em US$ 82,211 bilhões, o equivalente a 3,67% do PIB. Em outubro, o saldo da balança comercial foi negativo em US$ 224 milhões, enquanto a conta de serviços ficou negativa em US$ 4,946 bilhões. A conta de renda também ficou deficitária no mês passado em US$ 2,598 bilhões.

Investimento Externo

Os Investimentos Estrangeiros Diretos (IED) somaram US$ 5,362 bilhões em outubro, resultado que ficou abaixo dos US$ 7,730 bilhões registrados no mesmo período do ano passado. Os aportes externos voltados ao investimento produtivo ficaram dentro das estimativas do mercado financeiro colhidas pelo AE Projeções, que iam de US$ 4,1 bilhões a US$ 6,1 bilhões, com mediana de US$ 5,250 bilhões.

No acumulado do ano até o mês passado, o IED soma US$ 49,144 bilhões, o equivalente a 2,64% do PIB. No mesmo período do ano passado, o IED acumulado era de US$ 55,327 bilhões (2,95% o PIB). Em 12 meses até outubro, o IED está em US$ 59,088 bilhões, o que corresponde a 2,64% do PIB.

Já o saldo de investimento estrangeiro em títulos de renda fixa negociados no País ficou positivo em US$ 196 milhões em outubro. Em outubro de 2012, o resultado havia sido positivo em US$ 868 milhões. No acumulado do ano, entraram no País US$ 28,028 bilhões para renda fixa, ante US$ 4,963 bilhões no mesmo período do ano passado. Em junho de 2013, o governo zerou o IOF sobre esse tipo de aplicação.

O investimento em títulos negociados no exterior ficou negativo em US$ 129 milhões em outubro de 2013. No mesmo período do ano passado, o saldo dessas aplicações ficou negativo em US$ 141 milhões. No acumulado do ano, o valor passou de positivo em US$ 5,167 bilhões nos dez primeiros meses de 2012 para negativo em US$ 1,259 bilhão no mesmo período de 2013.

Remessas e lucros

O saldo de remessas de lucros e dividendos ficou negativo em US$ 1,348 bilhão em outubro. As receitas (US$ 16 milhões) ficaram abaixo das remessas (US$ 1,364 bilhão) no mês passado. No mesmo período de 2012, o resultado foi uma saída líquida de US$ 2,355 bilhões. No acumulado de 2013, o saldo está negativo em US$ 18,373 bilhões, ante US$ 17,706 bilhões no mesmo período de 2012.

As despesas líquidas com juros externos somaram US$ 1,288 bilhão em outubro e US$ 10,859 bilhões no acumulado do ano. Em 2012, o gasto com juros totalizou US$ 1,075 bilhão em outubro e US$ 8,623 bilhões nos primeiros nove meses do ano.

Viagens

A conta de viagens internacionais registrou um déficit de US$ 1,780 bilhão em outubro. Esse valor negativo é resultado do volume de despesas pagas por brasileiros no exterior (US$ 2,314 bilhões), acima das receitas positivas com turistas estrangeiros em passeios pelo Brasil (US$ 533 milhões).

O saldo negativo do mês passado foi maior do que o verificado em outubro de 2012, de US$ 1,563 bilhão. No acumulado do ano, o déficit da conta de viagens chega a US$ 15,676 bilhões, ante saldo negativo de US$ 12,876 bilhões em igual período de 2012.

Tudo o que sabemos sobre:
contas externasBCoutubro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.